Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

KANSAS CITY/NOVA DÉLHI (Reuters) - Um homem de 51 anos foi indiciado pelo assassinato de um engenheiro da Índia e por ter ferido dois outros homens ao abrir fogo num bar do Kansas, nos Estados Unidos, no que autoridades federais estavam investigando nesta sexta-feira como um crime motivado por preconceito, que chocou o país das vítimas.

A ação a tiros da quarta-feira à noite foi o principal tema de boletins de notícias na Índia e provocou revolta nas redes sociais, em que pessoas manifestaram preocupação de que a posição “América Primeiro” do presidente dos EUA, Donald Trump, em relação à imigração e a empregos possa estar alimentando um clima de intolerância.

Sean Spicer, porta-voz da Casa Branca, disse nesta sexta-feira que qualquer perda de vida é trágica, mas que seria um absurdo ligar o assassinato com a retórica de Trump.

Adam Purinton, veterano da Marinha, que é branco, foi indiciado na quinta-feira no condado de Johnson, no Kansas, por conta de um assassinato premeditado em primeiro grau e duas tentativas de assassinato, disse o procurador Stephen Howe.

Ele não quis dar mais detalhes sobre o incidente e os motivos do ataque.

O FBI avalia se o caso é de crime de ódio, o termo oficial para crimes motivados por preconceito. Uma porta-voz do FBI declarou que agentes e a polícia haviam examinado a área na quinta e que a investigação continuava nesta sexta.

Purinton é acusado de matar Srinivas Kuchibhotla, 32 anos, e ferir Alok Madasani, também de 32 anos, no Austins Bar and Grill, em Olathe, Kansas, na noite de quarta, disse a polícia.

(Por Dave Kaup e Aditya Kalra)

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

Reuters