Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Moradores locais participam de vigília para vítimas de massacre em igreja em Sutherland Springs, no Texas 05/11/2017 REUTERS/Mohammad Khursheed

(reuters_tickers)

Por Lisa Maria Garza

SUTHERLAND SPRINGS, EUA (Reuters) - Um homem armado com uma metralhadora deixou ao menos 26 mortos e 20 feridos em uma igreja no Texas durante a missa de domingo, acrescentado o nome de Sutherland Springs à lista de comunidades norte-americanas abaladas por tiroteios em massa.

O massacre, que a mídia disse ter sido conduzido por um homem expulso da Força Aérea norte-americana por agredir sua mulher e filho, provavelmente renovará perguntas sobre o fato de alguém com um histórico de violência poderia acumular um arsenal de armas letais.

O homem armado, vestido de preto e usando um colete à prova de balas, dirigiu até à Primeira Igreja Batista em Sutherland Springs e abriu fogo dentro do prédio. Ele continuou atirando depois que entrou, matando ou ferindo vítimas com idades entre 5 e 72 anos, disse a polícia em coletiva de imprensa.

O presidente norte-americano, Donald Trump, disse a repórteres que o massacre foi devido a um "problema de saúde mental" e que não era "uma situação de armas". Ele se pronunciou durante visita oficial ao Japão.

Entre os mortos está a filha de 14 anos do pastor Frank Pomeroy, disse a família a diversas emissoras de televisão.

O agressor foi mais tarde encontrado morto, aparentemente baleado, após fugir do local do crime.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

Reuters