Reuters internacional

Salman Abedi, autor do ataque de Manchester, em imagem de circuito interno de segurança na noite do ataque. 27/05/2017 Polícia de Manchester/Divulgação via Reuters

(reuters_tickers)

TRÍPOLI (Reuters) - O homem-bomba que matou 22 pessoas em um show em Manchester no mês passado se radicalizou em 2015 enquanto morava no Reino Unido, disse seu irmão a investigadores de contraterrorismo líbios em Trípoli.

Hashem, irmão de Salman Abedi, também disse que ele comprou equipamento para o ataque no Reino Unido, embora não soubesse onde ele seria realizado, disse à Reuters Ahmed Bin Salem, porta-voz da Força Especial de Dissuasão de Trípoli (Rada).

A Rada é uma força de contraterrorismo alinhada ao governo de Trípoli, que tem apoio da Organização das Nações Unidas (ONU). Ela deteve o pai de Salman Abedi, Ramadan, e seu irmão mais novo, Hashem, nos dias seguintes ao atentado, e os está interrogando, assim como outros familiares.

"Hashem disse que ele e Salman conheceram a ideologia do Daesh (Estado Islâmico) em Manchester em 2015 pela internet e por alguns amigos no Reino Unido", disse Bin Salem.

"Ele acrescentou que eles costumavam assistir vídeos e que se solidarizavam com crianças da Síria e queriam fazer algo para ajudar o Daesh."

Salman e Hashem voaram para a Líbia no dia 18 de abril, informou Bin Salem. Salman voltou para Manchester cerca de uma semana antes do ataque depois de dizer aos pais que iria fazer uma peregrinação à Meca.

"Hashem disse que ele comprou para Salman todas as coisas necessárias para o ataque no Reino Unido e acrescentou que Salman planejava realizar um ataque, mas ele não sabia onde", disse Bin Salem, que ainda informou que Salman ligou para Trípoli em 15 de maio para "dizer adeus à sua família antes do ataque".

(Por Ahmed Elumami)

Reuters

 Reuters internacional