Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Por Patpicha Tanakasempipat e Panarat Thepgumpanat

BANGCOC (Reuters) - Um homem tailandês filmou a si mesmo matando sua filha de 11 meses em dois vídeos publicados no Facebook, antes de cometer suicídio, informou a polícia nesta terça-feira.

Usuários puderam acessar os vídeos do assassinato da criança no Facebook por aproximadamente 24 horas, até eles serem removidos por volta das 17h em Bangcoc (7h no horário de Brasília) nesta terça-feira, quase um dia depois da publicação.

"Esse é um incidente terrível e nossos corações estão com a família da vítima", disse à Reuters um porta-voz do Facebook, baseado em Cingapura. "Não há absolutamente nenhum espaço para conteúdo desse tipo no Facebook e o vídeo já foi removido."

Na última semana, o Facebook disse que estava revisando a maneira como monitora filmagens violentas e outros materiais passíveis de objeção depois da publicação de um vídeo do assassinato de um homem em Cleveland, nos Estados Unidos, que ficou disponível por duas horas antes de ser removido.

A preocupante filmagem da Tailândia mostra Wuttisan Wongtalay amarrando uma corda no pescoço de sua filha Natalie antes de jogar a criança, que estava usando um vestido rosa, da cobertura de um prédio isolado na orla da cidade de Phuket.

O suicídio de Wuttisan não foi transmitido, mas seu corpo sem vida foi encontrado ao lado do de sua filha, informou Jullaus Suvannin, policial responsável pelo caso.

"Ele estava tendo paranóias sobre a esposa o deixar e não o amar mais", disse Jullaus à Reuters.

(Reportagem adicional de Jeremy Wagstaff em Cingapura)

subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

Reuters