Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Policiais israelenses examinam cena de ataque na Cidade Velha de Jerusalém 14/07/2017 REUTERS/Ammar Awad

(reuters_tickers)

Por Maayan Lubell

JERUSALÉM (Reuters) - Três árabes-isralenses armados abriram fogo contra a polícia perto do local mais sagrado de Jerusalém nesta sexta-feira, matando dois policiais israelenses, antes de as forças de segurança matarem os agressores, informou a polícia.

Autoridades israelenses interditaram a área depois dos ataques --o mais sério incidente em anos perto do complexo altamente sensível, que é sagrado tanto para muçulmanos como para judeus.

O fechamento impediu muçulmanos de se reunirem no local para rezas de sexta-feira, o que levou a um apelo por resistência de líderes palestinos.

Os homens armados chegaram ao local sagrado, conhecido pelos muçulmanos como Nobre Santuário e pelos judeus como Monte do Templo, e andaram em direção a um dos portões da Cidade Velha, informou a porta-voz da polícia Luba Simri.

"Quando eles viram os policiais atiraram contra eles e então escaparam em direção a uma das mesquitas no complexo do Monte do Templo", disse Simri. "Uma perseguição veio em seguida e os três terroristas foram mortos pela polícia".

Ela disse que três armas de fogo foram encontradas em seus corpos. O Serviço de Segurança Interna de Israel disse que os três homens armados eram cidadãos árabes de Israel.

Reuters