Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

(Reuters) - A imprensa estatal chinesa disse neste sábado que esperava que o governo do novo presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, compreendesse a importância das relações com a China, mas que Pequim também deveria se preparar para o pior.

Durante a campanha, Trump protestou contra a China, acusando-a de roubar empregos norte-americanos e também irritou Pequim ao atender uma ligação do presidente da autogerida Taiwan, que a China vê como uma província rebelde sem direito a relações exteriores formais.

Embora Trump não tenha feito menções diretas à China em seu discurso inaugural, ele adotou um tom desafiador, dizendo que os trabalhadores norte-americanos têm sido devastados pela terceirização de trabalhos no exterior.

Em um comentário de primeira página, a edição estrangeira do Diário do Povo, do partido Comunista governista, disse que os dois países não deveriam forçar a submissão de um ou outro, mas procurar a cooperação mútua e administrar suas disputas. 

Reuters