Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

LONDRES (Reuters) - Pelo menos 58 pessoas podem ter morrido no incêndio que engoliu um prédio residencial em Londres nesta semana, disse a polícia neste sábado, quando a primeira-ministra Theresa May admitiu que a resposta das autoridades não foi boa o suficiente.

Se o número de mortes for confirmado, isso torna o incêndio do Edifício Grenfell o mais mortal em Londres desde a Segunda Guerra Mundial.

“Infelizmente, neste momento, há 58 pessoas que estariam no Edifício Grenfell naquela noite que estão desaparecidas e, portanto, eu infelizmente devo presumir que estão mortas”, disse o comandante da polícia Stuart Cundy.

Ele acrescentou que o número pode mudar. A polícia havia estimado o número de mortes em 30 anteriormente.

“O número de 30 mortes que eu confirmei ontem é o número de pessoas que eu tenho certeza que morreram, pelo menos. Então esses 58 incluem aqueles 30”, disse ele.

O governo da primeira-ministra May buscou suprimir a ira em relação ao incêndio, prometendo apoiar as vítimas após manifestantes terem zombado dela quando visitou os moradores locais.

"A resposta dos serviços de emergência, do Serviço Nacional de Saúde e da comunidade foi heróica", afirmou May em um comunicado.

"Mas, francamente, o apoio no local para as famílias que precisavam de ajuda ou informações básicas nas horas iniciais após esse terrível desastre não foi suficientemente bom."

May foi retirada às pressas de uma reunião com os moradores na sexta-feira, sob forte guarda policial, com os manifestantes gritando “Que vergonha” e centenas de pessoas invadindo um prédio municipal pedindo justiça.

Após uma rápida eleição fracassada que fez com que seu partido perdesse a maioria no Parlamento, May está enfrentando críticas por sua resposta ao incêndio que engoliu o conjunto habitacional popular de 24 andares na quarta-feira.

Os moradores do edifício destruído disseram que May demorou muito para visitar a comunidade atingida, que o prédio era inseguro e que as autoridades falharam em fornecer informações suficientes e apoiar aqueles que perderam seus familiares e casas.

May comandou no sábado uma reunião sobre a resposta do governo ao incêndio. Ela também recebeu as vítimas em Downing Street.

Junto da polícia e dos peritos de incêndio, ela prometeu estabelecer uma investigação pública. Ela também prometeu 5 milhões de libras em apoio, garantias de domicílio e ajuda com acesso a contas bancárias e dinheiro. Aqueles que perderam suas casas serão realojados dentro de três semanas, disse ela.

(Por Alistair Smout e Kate Holton)

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

Reuters