Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Estudante muçulmana segura cartaz em protesto contra o Dia dos Namorados em Surabaya, Indonésia. 13/02/2017 Antara Foto/Zabur Karuru/ via REUTERS

(reuters_tickers)

Por Benjamin Weir e Kanupriya Kapoor

JACARTA (Reuters) - Autoridades de algumas regiões da Indonésia confiscaram preservativos e proibiram que estudantes comemorem o Dia dos Namorados, argumentando que a tradição romântica incentiva o sexo casual e vai contra normas culturais.

Na cidade de Makassar, localizada na ilha de Sulawesi, a polícia fez buscas em mercadinhos e levou camisinhas que estavam facilmente disponíveis na maior parte da Indonésia, um país secular cuja ideologia estatal consagra a diversidade religiosa.

"Estas operações foram realizadas depois de recebermos relatos de moradores segundo os quais os mercadinhos estavam vendendo preservativos sem autorização, especialmente no Dia dos Namorados", disse Jufri, policial de Makassar, segundo uma reportagem.

O dia 14 de fevereiro é o Dia de São Valentim, que em alguns países também marca o Dia dos Namorados.

Ele acrescentou que os empregados dos mercadinhos foram orientados a não vender preservativos a adolescentes, segundo a notícia.

O conselho clerical islâmico da Indonésia declarou o Dia dos Namorados proibido pela lei islâmica em 2012, dizendo que ele contradiz a cultura e os ensinamentos muçulmanos.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

Reuters