Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

DUBAI (Reuters) - Autoridades iranianas prenderam pelo menos 50 suspeitos de terem ligações com grupos militantes em uma província a oeste do país, disse um procurador neste domingo, no último caso de uma onda de prisões depois de ataques com bombas e armas em Teerã, no começo de junho.

As prisões foram feitas dias depois de Guardas Revolucionários do Irã terem atirado mísseis do oeste do país para a Síria, no leste, tentando acertar bases do Estado Islâmico, que reivindicou responsabilidade pelos ataques de 7 de junho na capital Teerã, que matou 18 pessoas.

"Desde os ataques terroristas em Teerã, mais de 50 apoiadores e elementos ligados a grupos terroristas foram presos na província de Kermanshah", disse o procurador da província Nemat Sadeqi à agência de notícias estatal IRNA. 

"Um número significativo de vestes suicidas, detonadores eletrônicos e armas foram apreendidos com os detidos", disse Sadeqi, segundo a IRNA.

Autoridades iranianas anunciaram dezenas de prisões depois dos ataques a Teerã. No sábado, a imprensa estatal afirmou que forças de segurança prenderam membros de um grupo ligado ao Estado Islâmico que planejavam bombardeios e ataques suicidas em centros religiosos xiitas. 

(Redação em Dubai)

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

Reuters