(Reuters) - O Irã tem a capacidade de enriquecer urânio até 60%, disse um porta-voz da Organização de Energia Atômica do Irã (AEOI, sigla em inglês), neste sábado, muito mais do que é necessário para a maioria dos usos civis, mas menos do que o patamar de 90% exigido para produzir combustível de bomba nuclear.

“A organização tem a possibilidade de produzir 5%, 20% e 60%, e tem essa capacidade”, disse o porta-voz da AEOI, Behrouz Kamalvandi, durante uma entrevista coletiva na usina nuclear subterrânea Fordow, segundo a agência de notícias oficial IRIB.

“No momento, a necessidade é de 5%”, acrescentou.

A maior autoridade política do Irã, o aiatolá Ali Khamenei, disse mês passado que a República Islâmica nunca buscou a construção ou o uso de armas nucleares, o que sua religião proíbe.

O Irã disse na quinta-feira que havia retomado o enriquecimento de urânio na usina de Fordow, afastando-se ainda mais do acordo nuclear de 2015 firmado com potências mundiais, após os Estados Unidos terem se retirado dele.

O pacto proíbe a produção de material nuclear em Fordow, um local altamente sensível e que o Irã escondeu de inspetores da ONU até sua exposição em 2009.

Inspetores da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) visitarão Fordow no domingo, disse Kamalvandi.

(Por Babak Dehghanpisheh)

Neuer Inhalt

Horizontal Line


Teaser Instagram

Siga-nos no Instagram

Siga-nos no Instagram

subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.