Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Por Luke Baker
BRUXELAS (Reuters) - O líder supremo do Irã, Ali Khamenei, criou uma poderosa organização de inteligência para tentar sufocar novos levantes da população após a eleição contestada de junho, disse na quinta-feira um grupo iraniano de oposição no exílio.
A nova organização, responsável pela inteligência e pela segurança, é um desdobramento da Guarda Revolucionária e vai se reportar diretamente ao gabinete de Khamenei, de acordo com o Conselho Nacional de Resistência do Irã (CNRI), baseado em Paris e com adeptos na Europa e no Irã.
A mudança é a maior reformulação da estrutura de inteligência iraniana desde 1989, quando morreu o aiatolá Ruhollah Khomeini, acredita o CNRI, e reflete o quanto a liderança está preocupada com os protestos pós-eleição.
"Embora os mulás tenham feito declarações públicas sobre a nova organização, eles ocultaram a sua dimensão real e sua verdadeira natureza", disse Maryam Rajavi, líder do CNRI, numa entrevista coletiva em Bruxelas.
"Sua estrutura de comando está diretamente ligada a Khamenei. Sua formação marca uma transformação sem precedente na inteligência e no aparato de repressão do regime", afirmou ela, citando informações de fontes no Irã.
As autoridades iranianas ainda não fizeram comentários sobre as notícias da reformulação na organização de inteligência.
No mês passado, a mídia iraniana relatou que o ex-chefe da milícia Basij, Hossein Taeb, havia sido transferido para a Guarda. O jornal Ebtekar disse que Taeb tinha experiência anterior na inteligência, mas não divulgou a sua nova posição.
PODER CENTRALIZADO
O grupo é chamado de Organização de Inteligência do Corpo da Guarda Revolucionária Islâmica. Tomou forma em junho, pouco depois da reeleição do presidente Mahmoud Ahmadinejad numa votação que seus oponentes acusam de ter sido fraudada. A acusação é rejeitada pelas autoridades.
Alireza Nader, analista de assuntos internacionais da Corporação Rand, especialista em Irã, diz acreditar que as notícias sobre um serviço de inteligência reforçado sejam verdadeiras, mas questionou a possibilidade de Khamenei estar por trás da medida.
"A Guarda Revolucionária e as forças de segurança estão sendo reorganizadas não apenas para fornecer controle máximo a Khamenei, mas também para os guardas", disse.
"Questiono se Khamenei é a principal força motriz dessas mudanças. A Guarda Revolucionária parece não responder a ninguém".

subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

Reuters