Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Chefe da Organização de Energia Atômica do Irã, Ali Akbar Salehi, durante seminário em Tóquio, no Japão 02/11/2015 REUTERS/Yuya Shino

(reuters_tickers)

LONDRES (Reuters) - O Irã pode retomar a produção de urânio altamente enriquecido dentro de cinco dias se o acordo fechado com potências mundiais em 2015 sobre o programa nuclear do país for revogado, disse o chefe da Organização de Energia Atômica do Irã, segundo a mídia estatal, nesta terça-feira.

O acordo que o presidente do Irã, Hassan Rouhani, fechou com os Estados Unidos, Rússia, China e outras três potências europeias levou a suspensão da maior parte das sanções contra Teerã em troca de reduções no programa nuclear.

Rouhani tem intensificado esforços para proteger o acordo ante um retorno de uma política agressiva de Washington em relação ao Irã, depois que o presidente norte-americano, Donald Trump, aprovou novas sanções contra o país.

Rouhani advertiu na última semana que o Irã pode abandonar o acordo "dentro de horas" se os Estados Unidos impuserem novas sanções.

"O aviso do presidente não foi sem fundamento", disse o chefe da Organização de Energia Atômica do Irã, Ali Akbar Salehi, nesta terça-feira.

"Se nós decidirmos, nós podemos atingir 20 por cento de enriquecimento (de urânio) dentro de cinco dias em Fordow (central nuclear subterrânea)", acrescentou.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

Reuters