Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

LONDRES (Reuters) - O Irã deteve diversos estudantes em uma aparente tentativa de evitar protestos de oposição durante o Dia do Estudante no mês que vem, afirmou um grupo ocidental de direitos humanos.
A polícia iraniana, procurando evitar qualquer repetição das grandes demonstrações que eclodiram depois das eleições disputadas em junho, alertou os simpatizantes da oposição contra o uso das comemorações do 7 de dezembro, dia do estudante, para realização de mais manifestações.
A oposição pró-reformista diz que a eleição presidencial de 12 de junho foi armada para garantir a reeleição de Mahmoud Ahmadinejad. As autoridades rejeitam as alegações de fraude na votação.
A Campanha Internacional para os Direitos Humanos no Irã, com base no Ocidente, diz que vários estudantes no Irã têm sido detidos e processados nos últimos dias, com as autoridades "aparentemente procurando minar os protestos esperados" para 7 de dezembro.
O porta-voz do grupo, Hadi Ghaemi, afirmou em comunicado publicado na terça-feira: "Com o intuito de silenciar o movimento estudantil, uma perseguição massiva aos estudantes iranianos está em curso, o que não somente viola seus direitos, mas também afeta seus estudos e as vidas de suas famílias".
Sites reformistas iranianos também reportaram detenção de estudantes nas últimas semanas, afirmando que alguns também foram suspensos de seus estudos.
"Com a aproximação do dia do estudante, cresceu a pressão nos estudantes para evitar que eles façam reuniões nesse dia. Cerca de 60 líderes estudantis foram presos até o momento", afirmou o site pró-reformista Norooz.
O Irã nega regularmente as acusações de violação dos direitos humanos e acusa o Ocidente de violar os direitos das pessoas em seus próprios países.

subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

Reuters