Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

LONDRES (Reuters) - O Irã prendeu quase 50 pessoas em conexão com ataques em Teerã que mataram 17 pessoas na semana passada, disseram autoridades, enquanto forças de segurança intensificam esforços para reprimir os militantes suspeitos.

O Estado Islâmico assumiu a responsabilidade pelos atentados suicidas e ataques com armas no Parlamento e o mausoléu do fundador da República Islâmica, aiatolá Ruhollah Khomeini, na quarta-feira.

O ministro da Inteligência do Irã, Mahmoud Alavi, disse no sábado à noite que 43 suspeitos foram presos e as operações para identificar e esmagar mais "células terroristas" estavam em andamento.

No domingo, o chefe do departamento de justiça da província de Kordestan, no oeste do Irã, anunciou mais prisões.

"Seis pessoas que certamente estavam conectadas aos ataques terroristas de quarta-feira em Teerã foram identificadas e presas", afirmou Aliakbar Garousi, citado pela agência de notícias Fars.

O Irã também disse que suas forças de segurança mataram o cérebro dos ataques no sábado.

(Reportagem de Bozorgmehr Sharafedin)

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

Reuters