Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

BAGDÁ, 24 Ago (Reuters) - O primeiro-ministro designado no Iraque Haider al-Abadi disse no domingo durante as conversações com o ministro das Relações Exteriores do Irã, que seriam necessários esforços internacionais para destruir os militantes sunitas do Estado Islâmico que tomaram faixas de seu país e da Síria.

O ministro das Relações Exteriores, Mohammad Javad Zarif, do Irã, uma potência regional xiita provável de exercer influência sobre a formação do novo gabinete de Abadi, reafirmou o apoio de Teerã para a unidade territorial do Iraque e sua luta contra os militantes.

"Abadi apontou para a presença de muitos perigos colocados na região como resultado da existência do grupo terrorista Estado Islâmico que requer esforços regionais e internacionais para exterminar esta organização terrorista", disse seu gabinete em um comunicado após as reuniões com Zarif.

O avanço do Estado Islâmico através do norte do Iraque, alarmou o governo de Bagdá e seus aliados ocidentais, o que levou os primeiros ataques aéreos dos Estados Unidos no Iraque desde que as forças de ocupação dos EUA se retiraram em 2011.

O grupo militante sunita vê muçulmanos xiitas - a maioria no Iraque - como infiéis que merecem ser mortos e tirou milhares de não-muçulmanos de suas casas.

Atentados em todo o Iraque mataram pelo menos 35 pessoas no sábado em ataques de aparente vingança depois que milicianos xiitas metralharam uma mesquita sunita na província de Diyala na sexta-feira, matando 68 fiéis, em um ataque que aprofunda ainda mais o conflito sectário no país.

(Reportagem de Babak Dehghanpisheh)

Reuters