Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Por Nidal al-Mughrabi e Dan Williams

GAZA/JERUSALÉM (Reuters) - Militantes palestinos lançaram foguetes contra Israel, nesta terça-feira, depois de o governo israelense concordar com uma proposta egípcia para pôr fim ao conflito de uma semana na Faixa de Gaza, e o líder do Hamas disse que o grupo ainda não decidiu se aceita o cessar-fogo.

Pelos termos do plano anunciado pelo Egito --cujo governo, apoiado pelos militares, não mantém bom relacionamento com o Hamas--, a redução dos ataques estava prevista para começar às 9h (3h no horário de Brasília), com o fim das hostilidades dentro de 12 horas.

Depois das 9h foram feitos disparos contra Israel e a TV mostrou a interceptação pelo sistema antimísseis israelense Cúpula de Ferro de vários projéteis sobre o porto de Ashdod. Uma fábrica foi atingida, mas os serviços de emergência informaram que ninguém ficou ferido.

Israel afirmou que suspendeu os ataques contra a Faixa de Gaza, mas iria retomá-los com força se os disparos de militantes palestinos prosseguissem.

O governo israelense aprovou os termos da trégua, que foram rejeitados pelo braço armado do Hamas, as Brigadas Al-Qassam. No entanto, Moussa Abu Marzouk, alto dirigente do Hamas que estava no Cairo, disse que o grupo ainda não havia tomado uma decisão final.

Reuters