Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Por Dan Williams e Ori Lewis

JERUSALÉM (Reuters) - Israel está se preparando para construir uma rede de sensores para tentar detectar a escavação de túneis em seu território a partir da Faixa de Gaza, mas pode levar meses para saber se a tecnologia funciona, disse uma autoridade de alta patente do Exército nesta segunda-feira.

Enquanto isso, o Exército pode voltar a invadir o enclave palestino para destruir quaisquer túneis que descobrir ou que acha que estão sendo feitos, declarou outra autoridade, no intuito de acalmar os temores de israelenses que moram perto da fronteira com Gaza.

Forças terrestres israelenses invadiram Gaza no mês passado para demolir uma série de passagens subterrâneas que os islâmicos do Hamas cavaram para se infiltrar na fronteira.

O Exército afirma ter destruído 32 delas, mas acredita que algumas, que também servem como abrigos e esconderijos de armas, permanecem intactas.

Depois de mais de uma década de tentativas frustradas para desenvolver maneiras de revelar os túneis, uma autoridade do Exército disse que os militares se preparam para posicionar sensores no perímetro de Gaza.

O Exército espera que estes mecanismos não somente possam detectar túneis em construção, mas outros já prontos.

Em um boletim aos repórteres, o militar, que não quis revelar o nome, disse que os sensores serão amplificados por obstáculos físicos colocados ao longo da fronteira de 68 quilômetros.

Ele não descreveu a tecnologia, mas afirmou que testes dos próximos meses mostrarão se o sistema está pronto para ser usado. Experimentos anteriores utilizaram detectores sísmicos.

Sublinhando a ansiedade de Israel para superar o problema, o militar disse que uma delegação israelense até viajou ao Vietnã em 2002 para tentar entender como os norte-americanos lidaram com os túneis da guerrilha na guerra travada nas décadas de 1960 e 1970.

Durante a recente guerra iniciada em 8 de julho, militantes se infiltraram em Israel várias vezes e mataram cinco soldados em um posto de vigilância.

O comandante sênior no front sul de Israel, o major-general Sami Turgeman, afirmou que pode levar meses antes de a tecnologia de sensores passar no teste.

“Até lá, proponho que todas as vezes em que descobrirmos que o inimigo está construindo um túnel, entremos na área para destrui-lo”, declarou Turgeman a israelenses que residem perto da divisa com Gaza.

Um dos temores de Israel a respeito dos túneis é que sejam usados para sequestrar seus cidadãos, como aconteceu em 2006, quando o soldado Gilad Shalit foi raptado e mantido refém por cinco anos, sendo libertado em troca de mais de mil palestinos detidos em prisões israelenses.

Reuters