Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Palestinos gritam durante protesto contra Israel por medidas na mesquita al-Aqsa 20/7/2017 REUTERS/Ronen Zvulun

(reuters_tickers)

JERUSALÉM (Reuters) - Israel decidiu na terça-feira (horário local) remover os detectores de metal que instalou nas entradas de um local sagrado na Cidade Velha de Jerusalém e substituí-los por meios de segurança menos obstrutivos e inteligentes, informou o governo israelense em comunicado.

O gabinete ministerial do primeiro-ministro Benjamin Netanyahu votou a favor de remover os detectores após uma reunião com várias horas de duração sobre o tema pela segunda vez na segunda-feira, depois de ter encerrado as discussões na véspera.

Um comunicado emitido após a reunião informou que os ministros decidiram agir com base na recomendação dos órgãos de segurança e substituir os detectores de metais por "verificação inteligente".

As tensões aumentaram intensamente em Jerusalém desde que Israel instalou os detectores de metal no complexo da mesquita de Al-Aqsa, em Jerusalém, com dois guardas sendo mortos a tiros no local em 14 de julho.

O aumento das tensões e as mortes de três israelenses e quatro palestinos na violência na sexta e sábado provocaram um alarme internacional.

O enviado da Organização das Nações Unidas (ONU) para o Oriente Médio, Nickolay Mladenov, alertou nesta segunda que era necessária uma solução até sexta-feira para a crise na mesquita de Al-Aqsa, que ele disse representar um risco de "custos catastróficos bem além dos muros da Cidade Velha". [nL1N1KF190]

(Por Ori Lewis)

Reuters