Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

ROMA (Reuters) - A polícia italiana prendeu dois irmãos nesta terça-feira por invadirem o email do presidente do Banco Central Europeu, Mario Draghi, do ex-primeiro-ministro italiano Matteo Renzi e de milhares de outras pessoas. 

Um tribunal de Roma ordenou a detenção de Giulio Occhionero, de 45 anos, e de sua irmã Francesca Maria Occhionero, de 48 anos, pelo roubo de segredos de Estado e hacking ilegal. Advogados dos dois não puderam ser imediatamente contatados. 

“Houve dezenas de milhares de contas de email invadidas, entre elas contas pertencendo a banqueiros, empresários e até diversos cardeais do Vaticano”, disse à Reuters Roberto Di Legami, chefe da unidade policial especializada em crimes cibernéticos, que conduziu a investigação.

Giulio Occhionero, formado em engenharia nuclear e co-fundador da empresa de investimentos Westland Securities, utilizou um malware para infectar as contas de email para que pudesse fazer “investimentos baseados em informação reversa”, disse Di Legami. 

A conta de Draghi no Banco da Itália, do qual ele foi presidente, e a conta pessoal de Renzi na Apple, que ele usou quando era primeiro-ministro, estavam entre as contas infectadas pelo malware, de acordo com o mandato de prisão. O email oficial de Renzi como primeiro-ministro também foi alvo de ataque, segundo Di Legami.

A conta de Draghi no BCE, no entanto, não estava listada no mandato como alvo de ataque, e uma fonte próxima ao assunto disse que não há provas de uma invasão bem-sucedida a uma conta do BCE.

(Por Steve Scherer e Massimiliano Di Giorgio)

Reuters