Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

PALERMO, ITÁLIA (Reuters) - A polícia italiana prendeu um importante chefe da máfia da Sicília neste domingo. Ele fugia há mais de 15 anos e um ministro chamou sua detenção de um importante golpe para os criminosos.
Domenico Raccuglia, considerado o mais proeminente membro da Cosa Nostra depois do fugitivo mais procurado, Matteo Messina Denaro, foi condenado à revelia a três prisões perpétuas por assassinato e outros crimes.
O ministro do Interior, Roberto Maroni, afirmou que a prisão de Raccuglia foi "um dos maiores retrocessos infligidos sobre as organizações mafiosas nos últimos anos porque ele era, efetivamente, o número dois da Cosa Nostra".
A polícia informou que Raccuglia foi capturado em uma casa perto de Trapani, na parte oeste da Sicília, e foi levado à capital da ilha, Palermo. Ele foi considerado o chefe de importantes grupos mafiosos que operavam entre as duas cidades.
Embora sua mulher tenha sido mantida sob vigilância policial, ele tornou-se pai de um segundo filho enquanto fugia.
(Reportagem de Wladimiro Pantaleone)

subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

Reuters