Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

MILÃO (Reuters) - A polícia antiterrorismo italiana prendeu dois paquistaneses suspeitos de ajudar a financiar o grupo extremista islâmico responsável pelos atentados em Mumbai, na Índia, em novembro de 2008, nos quais foram mortas 166 pessoas.
A polícia informou em um comunicado neste sábado que os homens, identificados a partir de pistas fornecidas pelas autoridades indianas e pela polícia federal norte-americana, enviaram dinheiro para fora do país por meio de uma empresa de transferência de fundos que eles administram na cidade de Brescia, norte da Itália.
Pouco antes dos atentados de Mumbai, os dois homens transferiram dinheiro para o pagamento de chamadas telefônicas pela internet feitas por pessoas que mantinham contato direto com os militantes envolvidos nos ataques, diz o comunicado.
Os 10 militantes atacaram vários alvos em Mumbai, no oeste da Índia, incluindo dois hotéis de luxo e um centro judaico. O incidente agravou as relações já tensas entre a Índia e Paquistão, ambos detentores de armas nucleares.
Dois outros cidadãos paquistaneses foram presos durante a investigação, acusados de manterem ligações com o tráfico de pessoas.

subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

Reuters