Reuters internacional

Por Michelle Martin

BERLIM (Reuters) - Ivanka Trump disse nesta terça-feira que ainda está no processo de definir seu papel como assessora informal de seu pai, o presidente norte-americano Donald Trump, na Casa Branca e que quer usar sua influência para ajudar a empoderar as mulheres.

Em um debate ocorrido durante uma cúpula feminina em Berlim organizada pelo G20, o grupo das maiores economias mundiais, Ivanka disse que ainda está decidindo como pode causar impacto e tentando aprender com outros.

Indagada se representava o presidente, o povo norte-americano ou seu próprio negócio, ela respondeu: "Bem, certamente não este último, e não estou nada familiarizada com este papel, já que é bastante novo para mim, só se passaram pouco menos de 100 dias".

Depois ela acrescentou: "Ainda é muito cedo para mim. Estou ouvindo, estou aprendendo, estou definindo as maneiras pelas quais acho que conseguirei causar impacto. Estou buscando conselho... de mulheres e homens informados e conscienciosos e estou realmente me esforçando para pensar sobre a melhor maneira de empoderar as mulheres na economia, tanto domesticamente quanto ao redor do globo".

Ivanka Trump é vista como uma influência cada vez mais importante sobre o pai, mas sua indicação como assessora, com acesso a informações confidenciais, é extremamente incomum para a filha de um presidente. Na tentativa de acalmar as preocupações éticas, ela disse no mês passado que irá trabalhar na Casa Branca em uma função informal e não remunerada.

No evento de Berlim, a filha de 35 anos debateu o apoio a mulheres empreendedoras com a chanceler da Alemanha, Angela Merkel, e com a diretora do Fundo Monetário Internacional (FMI), Christine Lagarde, entre outras.

No mês passado ela foi fotografada sentada ao lado de Merkel durante a visita da líder alemã a Washington, caracterizada por uma linguagem corporal desajeitada entre a chanceler e o presidente, que tentavam minimizar suas diferenças em temas como o comércio.

Durante o debate na capital alemã, Donald Trump tuitou dizendo estar "orgulhoso" de Ivanka por "sua liderança nesses temas importantes".

Reuters

 Reuters internacional