Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

BANJUL (Reuters) - O líder da Gâmbia, Yahya Jammeh, disse que se afastaria do cargo neste sábado após a pressão de exércitos do Oeste Africano que entraram no país esta semana após sua recusa em admitir a derrota nas eleições para o presidente Adama Barrow.

O anúncio de Jammeh, feito durante a noite na televisão estatal, parece acabar com um impasse político e encerrar um quase reinado que começou em 1994, quando ele tomou o poder em um golpe.  

Na prática, ele tinha pouca escolha a não ser se afastar após 7 mil soldados da Nigéria e do Senegal entrarem na Gâmbia na quinta-feira apoiados por tanques e aviões de guerra. Eles estavam preparados para ir até a capital, uma vez que o exército de Jammeh não ofereceu resistência.

O governo autoritário de Jammeh criou uma reputação por torturar e matar opositores para sufocar a dissidência e sua saída provavelmente será bem recebida por ativistas da democracia e vista como um triunfo para a diplomacia africana. 

(Por Pap Saine)

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

Reuters