Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Jogador turco da NBA Enes Kanter fala sobre revocação de passaporte turco na sede da Associação Nacional de Jogadores de Basquete em Nova York. 22/05/2017 REUTERS/Lucas Jackson

(reuters_tickers)

Por Gina Cherelus

NOVA YORK (Reuters) - O jogador turco de basquete Enes Kanter, que joga na liga norte-americana NBA, voltou aos Estados Unidos nesta segunda-feira e deve falar publicamente sobre ser detido depois que seu passaporte turco foi cancelado pelo que descreveu como suas "visões políticas".

O atleta que joga no Oklahoma City Thunder teve a entrada na Romênia recusada no sábado porque seus documentos de viagem tinham sido cancelados pela Turquia, disse Kanter no Twitter.

"A razão por trás disso é só, claro, minha visão política", disse Kanter em um vídeo publicado na rede social.

Kanter deve falar ainda nesta segunda-feira, em entrevista coletiva, sobre o que ele afirma ser uma retaliação a seu apoio de longa data ao clérigo que mora nos Estados Unidos Fethullah Gulen, cuja extradição é buscada pelo presidente da Turquia, Tayyip Erdogan, em retaliação a uma tentativa de golpe no ano passado.

Kanter disse no ano passado que tinha rompido laços com sua família e prometido lealdade a Gulen após a mídia turca publicar uma carta assinada por seu pai renegando o filho.

Durante a tentativa de golpe na Turquia, soldados em aviões de guerra e tanques tentaram tomar o poder em uma conspiração que matou mais de 240 pessoas. Gulen, que vive em exílio auto-imposto desde 1999, negou envolvimento.

Após ter a entrada recusada no aeroporto de Bucareste na Romênia, Kanter voou para Londres e de lá embarcou de volta aos EUA.

(Reportagem adicional de Barbara Goldberg)

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

Reuters