Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

KIEV/MOSCOW (Reuters) - A Ucrânia e a Rússia culparam uma a outra nesta terça-feira pelo aumento dos combates no leste ucraniano nos últimos dias, o que levou ao maior número de vítimas em semanas e cortou luz e água de milhares de civis na linha de frente.

Os militares ucranianos e os separatistas apoiados pela Rússia acusaram uns aos outros de lançar ataques na cidade industrial de Avdiyivka, controlada pelo governo, e usar artilharia pesada, desrespeitando o acordo de cessar-fogo de Minsk de dois anos atrás.

Oito militares ucranianos foram mortos e 26 ficaram feridos desde que os combates se intensificaram no domingo, o maior número de perdas entre os militares desde meados de dezembro, segundo dados do governo.

"A atual intensificação é uma indicação clara do continuado e gritante desrespeito da Rússia aos seus compromissos dos acordos de Minsk, com uma visão de impedir a estabilização da situação”, afirmou o Ministério do Exterior ucraniano em comunicado.

O acordo de paz foi firmado em fevereiro de 2015, mas monitores internacionais relatam violações da trégua numa base diária, incluindo tiros e ações com morteiro regulares.

Reuters