Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

HAMBURGO (Reuters) - Medidas precisam ser tomadas para alcançar um genuíno cessar-fogo na Ucrânia e que a implementação dos acordos de Minsk para encerrar o conflito no país estão muito devagar, disse o Kremlim, neste sábado.

Com a Ucrânia na pauta, o presidente Vladimir Putin encontrou-se com seus correspondentes da França e Alemanha, Emmanuel Macron e Angela Merkel, durante a cúpula do G20, em Hamburgo.

Macron afirmou que não tinha uma solução pronta para a crise, mas que os três países tiveram uma "boa discussão" sobre o assunto.

"Se eu tivesse uma solução no bolso, eu já a teria usado e compartilhado com meus amigos", disse o presidente francês, em um vídeo publicado em seu Facebook.

"Sabemos como é complicada a situação, então estamos negociando".

O porta-voz do Kremlim, Dmitry Peskov, afirmou que houve um entendimento entre os três países de que "medidas efetivas precisam ser tomadas, que poderiam levar a um cessar-fogo real na linha de frente e garantir a retirada de equipamentos militares".

"Os acordos de Minsk não estão sendo implementados rapidamente, e não escondemos a decepção", disse Peskov a repórteres, em uma conferência por telefone.

Macron afirmou que França, Alemanha, Rússia e Ucrânia provavelmente se reunirão nas próximas semanas.

A implementação dos acordos de paz de Minsk no leste da Ucrânia, negociados por Berlim e Paris, empacou. O acordo foi designado para encerrar o conflito que matou milhares de pessoas desde abril de 2014. 

(Por Vladimir Soldatkin e Marine Pennetier)

Reuters