Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, durante coletiva de imprensa em Sóchi 19/09/2016 REUTERS/Sergei Karpukhin

(reuters_tickers)

MOSCOU (Reuters) - A Rússia acusou o Ocidente nesta quinta-feira de "estimular histeria" sobre seus exercícios militares de grande escala, atualmente em curso no leste da Europa, e negou acusações de que as atividades estejam sendo conduzidas com falta de transparência.

Os exercícios, apelidados de "Zapad", ou "Ocidente" em russo, começaram nesta quinta-feira e serão realizados até o dia 20 de setembro em faixas militares de Belarus, no oeste da Rússia, no enclave russo de Kaliningrado e no Mar Báltico.

"Nós rejeitamos queixas de que esses exercícios não estão sendo transparentes", disse o porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, a repórteres. "Nós acreditamos que estimular histeria sobre esses exercícios é uma provocação."

A Otan está observando de perto os exercícios e afirma que eles contam com mais do que os 12.700 militares divulgados por Moscou, totalizando, na verdade, cerca de 100 mil soldados, e envolvendo mísseis balísticos com capacidade nuclear.

(Reportagem de Polina Nikolskaya)

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

Reuters