Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, durante coletiva de imprensa em Sochi, na Rússia 19/05/2016 REUTERS/Sergei Karpukhin

(reuters_tickers)

MOSCOU (Reuters) - O porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, disse nesta segunda-feira que caberá a Washington escolher quais funcionários da diplomacia dos Estados Unidos serão cortados, depois que a Rússia decidiu reduzir em 755 o número de trabalhadores diplomáticos dos Estados Unidos em resposta a novas sanções norte-americanas contra Moscou.

Peskov disse que cidadãos russos trabalhando para os Estados Unidos na embaixada norte-americana podem estar entre os 755 funcionários a serem cortados, bem como diplomatas norte-americanos.

A Rússia não esperou o presidente norte-americano, Donald Trump, assinar as sanções antes de tomar a medida porque "não faz sentido esperar", após as sanções terem sido aprovadas no Congresso dos EUA, disse Peskov a repórteres em entrevista coletiva.

(Reportagem de Maria Tsvetkova)

Reuters