Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, durante coletiva de imprensa em Sochi, na Rússia 19/05/2016 REUTERS/Sergei Karpukhin

(reuters_tickers)

MOSCOU (Reuters) - O Kremlin disse nesta segunda-feira estar preocupado que as novas sanções propostas pelos Estados Unidos contra Moscou possam prejudicar projetos comerciais com parceiros europeus, mas disse que é muito cedo para dizer se e como retaliaria.

A Casa Branca disse no domingo que o presidente norte-americano, Donald Trump, está aberto a assinar legislações para fortalecer as sanções contra a Rússia, depois que os líderes do Senado e da Câmara dos Deputados dos EUA chegaram a um acordo sobre um projeto no final da semana passada.

"Quanto à posição do governo de Washington sobre as sanções, nós vimos algumas correções", disse o porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, a repórteres.

"Nós vamos esperar pacientemente... até que essa posição seja formulada sem ambiguidades", acrescentou.

Mas, ele disse que o Kremlin teve "uma visão extremamente negativa" das novas sanções propostas pelos parlamentares norte-americanos.

O que ele chamou de "retórica de sanções contínuas" é contraproducente e prejudicial para os laços EUA-Rússia, assim como potencialmente ao interesse de terceiros países, disse.

Peskov se recusou a comentar sobre os relatos de que a União Europeia pode discutir novas sanções contra Moscou devido à entrega de turbinas Siemens para a Crimeia.

(Reportagem de Dmitry Solovyov)

Reuters