Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, durante evento em Sochi, Rússia. 20/05/2016 REUTERS/Sergei Karpukhin

(reuters_tickers)

Por Andrew Osborn

MOSCOU (Reuters) - O Kremlin disse nesta quarta-feira que é "totalmente sem sentido" a alegação de que autoridades russas tenham arquivos com informações comprometedoras sobre o presidente eleito dos Estados Unidos, Donald Trump.

Duas autoridades dos EUA disseram na terça-feira que os chefes de quatro agências de inteligência dos EUA apresentaram a Trump na semana passada documentos sigilosos que incluem alegações não confirmadas de que agentes de inteligência russos tinham informações comprometedoras sobre ele. [L1N1F10CI]

Falando a jornalistas em teleconferência, o porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, disse que o suposto dossiê é uma mentira que foi inventada para prejudicar ainda mais as relações entre Rússia e EUA, que já estão no pior nível desde a Guerra Fria.

"Isso é uma tentativa de danificar nossa relação bilateral. É ficção", disse Peskov, que também negou veementemente alegações do suposto dossiê de que ele mesmo teria envolvimento pesado em uma campanha russa para prejudicar a candidata presidencial derrotada dos EUA, Hillary Clinton.

Peskov afirmou ainda que o Kremlin não se envolve na criação de dossiês sobre qualquer pessoa e está focado em construir relações boas com os parceiros internacionais da Rússia.

Trump minimizou na terça-feira os relatos sobre as supostos informações comprometedoras sobre ele recolhidas pela Rússia. “NOTÍCIA FALSA - UMA TOTAL CAÇA ÀS BRUXAS POLÍTICA!”, escreveu ele no Twitter.

(Reportagem adicional de Alexander Winning)

Reuters