Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Líder da Catalunha, Carles Puigdemont, durante entrevista com a Reuters, em Barcelona 29/09/2017 REUTERS/Jon Nazca

(reuters_tickers)

MADRI (Reuters) - O líder da Catalunha, Carles Puigdemont, disse não ter medo de ser preso por organizar um referendo proibido sobre a independência da região da Espanha, que aconteceu apesar de o governo central espanhol ter usado força para tentar impedir que as pessoas votassem.

A polícia de choque espanhola usou cacetetes e balas de borracha contra eleitores, desencadeando críticas internacionais e arrastando a Espanha para sua maior crise constitucional em décadas.

O governo de Puigdemont pedirá na segunda-feira que o Parlamento da Catalunha declare independência, depois que as autoridades divulgaram resultados preliminares do referendo mostrando 90 por cento de apoio à separação.

O comparecimento foi de cerca de 43 por cento, uma vez que a maior parte dos catalães que desejam permanecer na Espanha boicotou a votação.

"Pessoalmente, eu não tenho medo disso", disse Puigdemont em entrevista ao jornal alemão Bild publicada nesta quinta-feira, quando perguntado sobre sua possível prisão.

"E não estou mais surpreso com o que o governo espanhol está fazendo. Minha prisão também é possível, o que seria um passo bárbaro".

(Reportagem de Paul Day)

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

Reuters