Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

PARIS (Reuters) - O líder da extrema-esquerda na França, Jean-Luc Melenchon, mobilizou dezenas de milhares de pessoas para protestarem neste sábado contra as reformas do presidente Emmanuel Macron, visando reforçar suas credenciais como adversário político mais forte de Macron.

Os protestos sindicais contra o plano de Macron de tornar a contratação e a demissão mais fáceis e dar às empresas mais poder sobre as condições de trabalho pareciam perder impulso, mas Melenchon disse que seu partido "França Insubmissa" convocou sindicatos em peso para se juntar a eles e "continuar a luta".

"A batalha não acabou, só está começando", disse Melenchon à multidão reunida na Place de la Republique, onde o ato contra o que Melenchon chamou de "golpe de Estado social" terminou.

Em recado a Macron, que disse que não se curvará diante da pressão das ruas, Melenchon disse: "São as ruas que derrotaram os reis, são as ruas que derrotaram os nazistas", enquanto a multidão cantava "Resistência! Resistência!"

Resta saber se Melenchon e seu partido têm a capacidade de mobilizar o tipo de resistência de rua que forçou os dois últimos presidentes a recuar em suas próprias tentativas de afrouxamento das leis trabalhistas.

Melenchon escreveu em seu Twitter que mais de 150 mil manifestantes participaram do ato, enquanto a polícia colocava o número em 30 mil.

(Por Ingrid Melander e Dominique Vidalon)

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

Reuters