Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Líder do Partido Trabalhista do Reino Unido, Jeremy Corbyn, durante evento de campanha em Birmingham. 20/05/2017 REUTERS/Darren Staples

(reuters_tickers)

Por Michael Holden

LONDRES (Reuters) - O líder do Partido Trabalhista, legenda de oposição britânica, disse nesta sexta-feira que a política externa do Reino Unido e a intervenção em guerras estrangeiras alimentaram a ameaça do terrorismo.

As declarações de Jeremy Corbyn foram feitas após o fim da suspensão da campanha eleitoral no Reino Unido devido ao ataque suicida em Manchester.

Corbyn também se comprometeu a reverter os cortes policiais da primeira-ministra Theresa May e a fornecer mais recursos às forças de segurança se for necessário, dizendo que o Reino Unido não pode economizar na proteção.

Oponentes acusaram Corbyn de explorar o ataque de segunda-feira por Salman Abedi, um britânico de pais líbios, que matou 22 pessoas, incluindo crianças, na Arena de Manchester após um show da cantora norte-americana Ariana Grande.

"Nenhum governo pode prevenir um ataque terrorista. Mas, é responsabilidade do governo minimizar essa chance, garantir que a polícia tenha os recursos que precisa, que a nossa política externa diminua ou invés de aumentar a ameaça neste país", disse em discurso em Londres.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

Reuters