Reuters internacional

MANILA (Reuters) - O presidente das Filipinas, Rodrigo Duterte, apelou aos separatistas muçulmanos e rebeldes liderados por maoístas para se juntarem à luta do governo contra militantes ligados ao Estado Islâmico.

Com medo crescente de que o Estado islâmico esteja buscando uma presença no país, Duterte se ofereceu para pagar e até mesmo dar casas aos combatentes de grupos que há muito se opuseram ao estado filipino se eles trabalhassem para derrotar um inimigo comum, o grupo Maute.

Duterte disse que a idéia de milícias e soldados lutando juntos veio do líder de um dos grupos separatistas.

Os militantes do grupo Maute prometeram fidelidade ao Estado Islâmico e estão lutando contra tropas governamentais desde que sitiaram uma cidade do sul há seis dias.

Reuters

 Reuters internacional