Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Líder da maioria no Senado dos EUA, Mitch McConnell 30/06/2017 REUTERS/Bryan Woolston

(reuters_tickers)

WASHINGTON (Reuters) - O republicano de maior escalão do Senado dos Estados Unidos disse nesta terça-feira que irá divulgar, na quinta-feira, uma versão revisada de uma grande legislação sobre assistência médica buscada pelo presidente Donald Trump e planejada para votação na próxima semana, mas divisões dentro do partido deixaram suas perspectivas pouco claras.

Com sua reputação como grande estrategista em jogo, o líder da maioria, Mitch McConnell, estabeleceu um calendário para consideração do Senado de legislação que irá cumprir a promessa de campanha do presidente republicano de desmantelar a lei conhecida como Obamacare, de 2010.

Mas ainda é incerto se a legislação pode satisfazer conservadores moderados e linhas-duras que expressaram oposição dentro do partido.

    McConnell também adiou o recesso planejado do Senado em duas semanas para permitir mais tempo para que senadores trabalhem sobre a medida --a irá revogar partes essenciais da lei Obamacare-- assim como a buscarem outras prioridades legislativas.

    McConnell disse que o plano é votar no projeto de lei de saúde na próxima semana, e disse que espera ter uma análise nova do projeto de lei feita pelo Escritório de Orçamentos do Congresso, não partidário, no início da semana. Ele não revelou detalhes.

    "Iremos prover assistência médica na próxima semana", disse McConnell a repórteres.

    O senador John Thune, membro da liderança republicana no Senado, indicou que líderes do Senado continuam incertos sobre se o projeto de lei revisado pode atrair os 50 votos necessários para passar o projeto em uma câmara que republicanos controlam por 52 assentos a 48.

    (Por Yasmeen Abutaleb e Susan Cornwell)

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

Reuters