Navigation

Líder supremo do Irã diz que Israel é "tumor cancerígeno" no Oriente Médio

Líder supremo do Irã, aitolá Ali Khamenei, discursa em Teerã 22/05/2020 Site Oficial de Khamenei/Divulgação via REUTERS reuters_tickers
Este conteúdo foi publicado em 22. maio 2020 - 15:02

DUBAI (Reuters) - O líder supremo do Irã, aiatolá Ali Khamenei, fez um apelo aos palestinos nesta sexta-feira para continuarem com sua insurreição contra Israel, afirmando que o governo israelense é um "tumor" que deveria ser confrontado até os palestinos serem libertados.

"A insurreição dos palestinos deveria continuar... lutar para libertar a Palestina é uma obrigação e uma jihad islâmica... o regime sionista (Israel) é um tumor cancerígeno na região", disse Khamenei, a maior autoridade iraniana, em um discurso.

"O vírus duradouro dos sionistas será eliminado."

O aiatolá e outras autoridades de alto escalão do Irã pedem há anos o fim do Estado judeu, inclusive através de um referendo na região, onde os palestinos são maioria.

Khamenei reiterou esse apelo no discurso que fez no Dia de Al-Quds, realizado na última sexta-feira do mês muçulmano de jejum do Ramadã e que foi instituído pelo aiatolá Ruhollah Khomeini, fundador da Revolução Islâmica do Irã em 1979.

(Por Parisa Hafezi)

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.