Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

VLADIVOSTOK (Reuters) - O presidente da Rússia, Vladimir Putin, disse nesta quinta-feira, depois de conversar com o primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe, que os dois líderes "condenam decisivamente" os testes de armas da Coreia do Norte.

"Condenamos decisivamente o lançamento de um míssil balístico de médio alcance da Coreia do Norte que sobrevoou o território do Japão em 28 de agosto, assim como os novos testes nucleares realizados em 3 de setembro", afirmou Putin em um comunicado.

Ele reiterou que a crise relativa à Coreia do Norte só deveria ser resolvida por meios políticos, e que ela representa uma ameaça à paz e à estabilidade na região.

O líder russo pediu que o impasse seja solucionado por meio de um roteiro proposto por Moscou e Pequim.

Putin também disse que ele e Abe debateram a perspectiva de atividades econômicas conjuntas de seus países nas ilhas de Kurile, reivindicadas pelas duas nações.

As ilhas, chamadas de Territórios do Norte no Japão e de Kuriles do Sul na Rússia, foram ocupadas por forças soviéticas no fim da Segunda Guerra Mundial, quando 17 mil moradores japoneses foram obrigados a fugir.

Putin afirmou que conversou com Abe sobre a possibilidade de um tratado de paz para encerrar oficialmente as hostilidades da última grande guerra. O acordo jamais foi assinado por causa da disputa territorial. Mas o presidente russo não informou o quão próximos de tal pacto os dois países estão.

Mais tarde, o porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, disse que não pode haver um cronograma para a conclusão de um tratado. "Esta é uma questão muito complicada e delicada", justificou.

"Rússia e Japão estão construindo uma confiança mútua continuamente, uma cooperação mutuamente benéfica, que só pode promover a criação de uma atmosfera favorável para se encontrar uma solução para o tratado de paz", disse Peskov.

(Por Oksana Kobzeva, Denis Pinchuk e Katya Golubkova)

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

Reuters