Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Uma montagem com as fotos dos candidatos à Presidência da França Emmanuel Macron e Marine Le Pen. 11/03/2017 (direita) e 21/02/2017 (esquerda). REUTERS/Christian Hartmann

(reuters_tickers)

Por Brian Love

PARIS (Reuters) - A candidata presidencial francesa de extrema-direita, Marine Le Pen, passeou em um barco pesqueiro nesta quinta-feira, quando duas pesquisas indicaram que ela começou melhor a reta final da disputa à Presidência do que o adversário, o franco favorito Emmanuel Macron, de centro.

Desde o primeiro turno realizado no domingo, que os colocou na votação decisiva de 7 de maio, a batalha entre Le Pen e Macron se intensificou, sobretudo no campo das relações públicas, com os dois candidatos trocando acusações de que o outro irá arruinar o país.

Uma sondagem diária da empresa Opinionway mostrou Macron ainda como o franco favorito, mas o placar que se previa para ele no segundo turno, que vinha sendo de 60 por cento ou mais nos últimos meses, caiu para 59 por cento pela primeira vez desde meados de março.

Um levantamento separado da Elabe também apontou para um perigo em potencial para Macron ao dizer que uma de cada duas pessoas entrevistadas crê que a etapa final da campanha de Le Pen começou bem, enquanto para ele essa visão positiva dos últimos acontecimentos foi de 43 por cento.

A ida de Macron e Le Pen para o turno final após a eleição de 23 de abril fez o euro subir acentuadamente e também impulsionou as ações francesas.

Os investidores temem que as políticas anti-União Europeia de Le Pen levem a um rompimento com o bloco e sua moeda única, mas estão acompanhando pesquisas que vêm indicando que, de todos seus principais rivais, Macron tem a maior margem de vitória prevista sobre ela.

O ex-banqueiro usou o Twitter para criticar a líder da Frente Nacional, cujo passeio de pesqueiro em jeans e jaqueta branca lhe rendeu uma ampla cobertura na televisão pelo segundo dia seguido. 

Acompanhada por apoiadores e pescadores no Porto de Grau, a oeste de Marselha, ela disse a jornalistas no cais que irá defender todos os que vivem do comércio marítimo e todos os setores ameaçados pelas regulamentações invasivas da UE.

Mirando em Macron, ela disse: "Permitam-me alertá-los, aquele homem irá destruir toda nossa estrutura social e econômica".

O presidenciável independente, de 39 anos, que foi ministro da Economia do atual governo socialista antes de sair para criar um movimento política que cobre todo o espectro político, ironizou sua adversária de 48 anos no Twitter.

"Madame Le Pen foi pescar. Aproveite o passeio. A saída da Europa que ela está propondo irá significar o fim da indústria de pesca da França", disse.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

Reuters