Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Candidata nas eleições presidenciais da França Marine Le Pen em um comício, em Paris. 17/04/2017 REUTERS/Pascal Rossignol

(reuters_tickers)

Por Ingrid Melander e Philippe Wojazer

PARIS (Reuters) - A líder de extrema-direita Marine Le Pen procurou mobilizar apoiadores na segunda-feira, seis dias antes da eleição presidencial mais imprevisível em décadas na França, prometendo suspender totalmente a imigração e blindar os eleitores da "globalização selvagem".

Há meses as pesquisas de opinião mostram Le Pen e Emmanuel Macron, candidato de centro, disputando o segundo turno de 7 de maio, mas a diferença que os separa do conservador François Fillon e de Jean-Luc Mélenchon, da extrema-esquerda, vem diminuindo.

"Eu irei proteger vocês. Minha primeira medida como presidente será reinstituir as fronteiras da França", disse Le Pen a uma multidão de cerca de 5 mil pessoas entusiasmadas, dando ensejo ao tradicional brado de seu partido, a Frente Nacional, "Este é nosso lar!".

Criticando duramente seus adversários, que disse desejarem uma "globalização selvagem", ela disse que seu campo é o dos patriotas. "A escolha de domingo é simples. É uma escolha entre uma França que está se reerguendo e uma França que está afundando".

Embora nenhuma pesquisa tenha mostrado Le Pen fora do segundo turno, os números agora estão dentro da margem de erro, e qualquer um dos quatro principais candidatos tem chance de disputar a decisão. As sondagens têm apontado reiteradamente uma derrota de Le Pen em maio.

Como os institutos de pesquisa estão dizendo que a abstenção pode bater recordes, convencer eleitores a irem às urnas no domingo é essencial. Le Pen procurou fazê-lo batendo forte na tecla dos temas característicos de sua sigla, o repúdio à União Europeia e à imigração.

"Lutem pela vitória, até o último minuto", disse ela. "Se cada patriota puder convencer só um absenteísta esta semana, só um eleitor indeciso, com certeza venceremos!".

Incentivando a plateia a vaiar a UE e seu Espaço Schengen, a área de livre circulação do bloco da qual quer tirar o país se for eleita, Le Pen afirmou: "A imigração em massa não é uma oportunidade para a França, é uma tragédia para a França".

Prometendo impor uma moratória à imigração imediatamente, ela disse: "Os franceses às vezes têm menos direitos do que os estrangeiros – até os ilegais!".

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

Reuters