Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

MONTEVIDÉU (Reuters) - O presidente Luiz Inácio Lula da Silva considera que um segundo governo esquerdista da Frente Ampla uruguaia seria benéfico para a relação entre Brasil e Uruguai, disse nesta segunda-feira o presidente do PT gaúcho, Olívio Dutra.
Dutra foi a Montevidéu manifestar o apoio petista à candidatura do senador José "El Pepe" Mujica, que disputa no próximo domingo o segundo turno uruguaio contra o ex-presidente Luis Alberto Lacalle, do conservador Partido Nacional.
O ex-governador gaúcho passou duas horas reunido com o candidato esquerdista em um hotel, mas alertou que não desejava interferir em uma decisão que cabe aos uruguaios.
Segundo ele, num recente encontro Lula lhe pediu que "reforçasse" sua estima ao povo do país vizinho.
De acordo com Dutra, Lula salientou "o papel que a Frente Ampla desempenhou no seu primeiro governo", e falou também da necessidade de uma maior integração entre os dois sócios do Mercosul.
Lula, segundo Dutra, "tem segurança de que num segundo governo comandando por 'Pepe' seria mais produtiva e rica essa relação para os nossos povos e aqui no continente, e em especial na área do Mercosul."
Em resposta a uma pergunta, o dirigente petista apontou "muita semelhança" entre Lula e Mujica, por serem líderes próximos do povo.
"Sem dúvida, 'Pepe' Mujica é uma figura emblemática, carismática e muito sincera, com um diálogo fácil e objetivo com o povo", acrescentou Dutra, comparando-o a Lula.
Ao longo da campanha, Mujica enfatiza suas semelhanças com Lula e busca se distanciar do presidente da Venezuela, Hugo Chávez.
Dutra também citou afinidades entre o PT e a Frente Ampla "por seu modo de governar e na visão que têm do Estado nacional funcionando bem, e não para poucos ou para alguns, e sim fundamentalmente para a maioria que mais precisa."
"Então, evidentemente torcemos para que a Frente Ampla possa reeleger seu projeto, ainda mais qualificado, e isso no nosso entender é bom para o Uruguai, e também para o Brasil e a América Latina em especial."
(Reportagem de Julio Villaverde)

subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

Reuters