Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

CIDADE DO MÉXICO (Reuters) - O governo do México censurou Israel no sábado pelo tweet do primeiro-ministro, Benjamin Netanyahu, que pareceu aplaudir o plano do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, de construir um muro de fronteira com o México para impedir a entrada de imigrantes ilegais.

Em sua conta no Twitter, Netanyahu disse no sábado: "O presidente Trump está certo. Eu construí um muro ao longo da fronteira sul de Israel. Isso parou toda a imigração ilegal. Enorme sucesso. Grande ideia."

A declaração foi rapidamente rejeitada pelos líderes da comunidade judaica no México e provocou um comunicado enervado do Ministério das Relações Exteriores do México.

"O Ministério das Relações Exteriores expressa ao governo de Israel, através de seu embaixador no México, seu profundo espanto, rejeição e decepção com a mensagem do primeiro-ministro Netanyahu no Twitter sobre a construção de um muro de fronteira", afirmou o ministério.

"O México é um amigo de Israel e deve ser tratado como tal por seu primeiro-ministro", afirmou, acrescentando que o ministro das Relações Exteriores, Luis Videgaray, expressou sua profunda afeição por Israel em um evento na sexta-feira que marcou o dia do memorial do Holocausto.

O porta-voz do Ministério das Relações Exteriores israelense, Emmanuel Nahshon, disse no Twitter que Netanyahu se referia "especificamente à experiência de segurança" de seu país e que Israel não estava opinando sobre as relações EUA-México.

(Reportagem de Dave Graham)

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

Reuters