Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Presidente francês, Emmanuel Macron, em Moisson 03/08/2017 REUTERS/Philippe Wojazer

(reuters_tickers)

PARIS (Reuters) - O presidente da França, Emmanuel Macron, apresentou uma queixa formal à polícia contra um fotógrafo alegando assédio e invasão de privacidade durante suas férias em Marselha, do sul do país, disse uma fonte da comitiva presidencial.

Segundo a mídia francesa, Macron e sua esposa, Brigitte, estão hospedados na residência particular do prefeito de Marselha, que tem vista para o Mediterrâneo e fica oculta dos olhos do público graças a um muro alto dotado de câmeras de segurança.

"Um fotógrafo o seguiu em várias ocasiões... e houve uma intrusão na propriedade, o que levou à apresentação da queixa de assédio e invasão de privacidade", disse a fonte da Presidência à Reuters.

O casal presidencial manteve o destino de seu descanso em sigilo, mas sua localização foi revelada pelo semanário Journal du Dimanche no fim de semana.

A preferência de Macron por manter silêncio a respeito de seus planos de férias e por evitar a mídia em Marselha ecoa seu estilo de liderança em seus 100 primeiros dias no poder.

O líder, de 39 anos, vem exercendo um controle rígido sobre as comunicações do Palácio do Eliseu e reduziu acentuadamente as interações com jornalistas quando comparado a presidentes anteriores.

Seu antecessor imediato, François Hollande, que queria ser visto como um "presidente normal" e dava declarações extraoficiais com frequência, pegou o trem para a Côte d'Azur em suas primeiras férias de verão como chefe de Estado e convidava a mídia a acompanhá-lo em suas caminhadas.

Uma autoridade policial de Marselha não quis comentar a queixa formal apresentada pelo presidente.

(Por Jean-Baptiste Vey e Cyril Camu)

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

Reuters