Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Candidato presidencial francês Emmanuel Macron. 02/03/2017 REUTERS/Christian Hartmann

(reuters_tickers)

Por Dominique Vidalon e Simon Carraud

PARIS (Reuters) - O candidato presidencial independente Emmanuel Macron, de centro, consolidou sua posição como favorito na disputa pelo governo da França nesta sexta-feira, enquanto só aumenta a pressão para que seu rival conservador, François Fillon, desista da corrida devido a um escândalo.

Uma pesquisa de opinião publicada pela empresa Odoxa mostrou Macron liderando no primeiro turno e empurrando a líder de extrema-direita, Marine le Pen, para a segunda posição pela primeira vez desde que as candidaturas se consolidaram.

Em meio a uma crise de confiança no campo de Fillon, a mesma sondagem revelou que, caso o político de 62 anos desista e seja substituído pelo popular colega conservador Alain Juppé, este seria o vencedor da votação de 23 de abril, e Le Pen seria eliminada.

A pesquisa veio à tona no momento em que Fillon teve que lidar com a mais recente de uma série de renúncias de conselheiros e apoiadores próximos, e em que uma fonte do campo de Juppé disse que o ex-ministro de 71 anos, que perdeu as primárias do partido Os Republicanos para Fillon em novembro, está "preparado para participar da busca de uma solução".

Macron apresentou seu manifesto na quinta-feira e vem subindo nas enquetes desde que uma denúncia engolfou Fillon – outrora o favorito a conquistar a presidência.

Nesta semana Fillon prometeu lutar "até o fim", apesar do escândalo financeiro crescente envolvendo pagamentos à sua esposa, que pode torná-lo alvo de uma investigação formal de malversação de fundos públicos até o final deste mês.

Ele vem se queixando de uma abordagem judicial e midiática que equivale a um "assassinato político". Vários de seus antigos apoiadores o desertaram desde então, dizendo que não podem endossá-lo diante de seus ataques ao judiciário.

A Odoxa colocou Macron com 27 por cento das intenções de voto no primeiro turno, Le Pen atrás com 25,5 por cento e Fillon em terceiro com 19 por cento.

Em um cenário com Juppé, a Odoxa o vê na frente com 26,5 por cento, Macron com 25 e Le Pen já fora da corrida com 24 por cento.

A Odoxa não apresentou uma simulação para o segundo turno, mas pesquisas diárias vêm indicando reiteradamente que qualquer candidato derrotaria Le Pen na decisão de 7 de maio.

Outra sondagem da Opinionway confirmou este cenário, embora ainda aponte para Le Pen na dianteira no primeiro turno. Não há pesquisas recentes confrontando Macron e Juppé no segundo turno.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

Reuters