Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Maduro e Delcy Rodríguez durante evento em Caracas 7/2/2018 REUTERS/Marco Bello

(reuters_tickers)

CARACAS (Reuters) - O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, nomeou nesta quinta-feira Delcy Rodríguez, a chefe da Assembleia Constituinte, como nova vice-presidente, conforme reorganiza seu gabinete após uma reeleição em maio amplamente condenada.

Rodríguez, de 49 anos, era presidente do super-órgão legislativo pró-governo conhecido como Assembleia Constituinte, que críticos dizem ter sido montada por Maduro no ano passado para substituir uma assembleia nacional controlada pela oposição. Ela também foi ministra das Relações Exteriores no passado.

“Eu nomeei como vice-presidente uma jovem mulher, brava, amadurecida, filha de um mártir, revolucionária e testada em milhares de batalhas”, disse Maduro no Twitter.

    Rodríguez substitui Tareck El Aissami, que irá se tornar ministro da Indústria e da Produção Nacional, segundo Maduro.

    Os Estados Unidos sancionaram El Aissami por supostas ligações com tráfico de drogas, junto a diversas outras autoridades de alto escalão na Venezuela. O Canadá sancionou Rodríguez, junto a 39 outras autoridades, em setembro por “comportamento antidemocrático”.

A reeleição de Maduro em 20 de maio foi condenada pelos EUA e por outros países da América Latina como uma farsa antidemocrática. Em resposta, os EUA impuseram novas sanções sobre a importante indústria de petróleo da Venezuela.

    Críticos dizem que Maduro recorreu a táticas cada vez mais autoritárias conforme a economia da Venezuela tem entrado mais profundamente em recessão, impulsionando descontentamento com a agenda socialista de Maduro. Maduro acusa os EUA de uma “guerra econômica” contra a Venezuela e de tentarem deslegitimar uma vitória democrática.

    Na quarta-feira, Maduro anunciou 10 outras mudanças de ministros, mas não mencionou mudanças em ministérios-chave, como petróleo, economia e defesa.

    “Do meu coração, sou grato aos meus irmãos e irmãs que me acompanharam durante os momentos mais sombrios que nossa República vivenciou em décadas”, disse ele.

(Reportagem de Vivian Sequera, Deisy Buitrago e Fabian Cambero)

Neuer Inhalt

Horizontal Line


swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.










Reuters