Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Por Chine Labbé

PARIS (Reuters) - Um magistrado ordenou que o ex-presidente francês Nicolas Sarkozy vá a julgamento por causa de irregularidades no financiamento de sua fracassada campanha de reeleição de 2012, informou uma fonte judicial nesta terça-feira.

A acusação contra Sarkozy, que governou a França durante cinco anos a partir de 2007, expõe o político conservador de 62 anos ao risco de receber uma pena de um ano de prisão se for condenado.

Um dos dois magistrados a cargo do caso ordenou o julgamento devido à acusação de que Sarkozy gastou muito mais do que teria direito, apesar dos alertas de contadores.

O advogado de Sarkozy, Thierry Herzog, classificou a decisão como sem sentido e disse que iria apelar contra a mesma.

Herzog destacou o fato de apenas um dos magistrados ter assinado a decisão. "O claro desacordo entre os dois magistrados encarregados do caso é um acontecimento tão raro que vale ser ressaltado, ilustrando a futilidade da decisão."

A fonte, que falou sob condição de anonimato, como é praxe no país quando anúncios iniciais de um julgamento são feitos, disse que 13 outras pessoas também podem ser levadas aos tribunais por sua relação com o caso.

A decisão ocorre no momento em que os políticos franceses enfrentam uma vigilância crescente de suas finanças pessoais e profissionais em função da proximidade da eleição presidencial de dois turnos em abril e maio.

O antecessor conservador de Sarkozy, Jacques Chirac, foi condenado em 2011, já aposentado, por malversação de fundos públicos para manter aliados políticos em empregos fantasma. Foi a primeira condenação de um chefe de Estado da França desde o marechal Philippe Pétain, colaborador dos nazistas, em 1945.

Reuters