Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Militares iraquianos vistos durante confronto na cidade iraquiana de Mosul. 18/01/2017 REUTERS/Alaa Al-Marjani

(reuters_tickers)

Por Isabel Coles

MOSUL, Iraque (Reuters) - A maioria dos comandantes do Estado Islâmico em Mosul foram mortos em batalhas contra forças do governo iraquiano nos últimos três meses no lado leste das cidade, disse um general nesta quinta-feira. 

A luta para tomar o lado oeste de Mosul, que permanece sob o controle dos jihadistas, não deve ser mais difícil do que a campanha pelo lado oriental, disse à Reuters o tenente-general Abdul Ghani al-Assadi antes de embarcar em um tour pelas áreas recém-tomadas. 

Durante a visita, Assadi subiu ao topo de uma grande mesquita inacabada e olhou para o lado oeste da cidade iraquiana, no norte do país, a qual é dividida em duas metades pelo rio Tigre. 

O Serviço de Antiterrorismo, comandado por ele, anunciou na quarta-feira que quase toda a região leste da cidade está sob controle do governo. 

“Se Deus quiser, haverá uma reunião nos próximos dias com a presença de todos os comandantes a respeito das operações de liberação”, disse ele, respondendo a uma pergunta sobre quando é esperado o começo de um avanço sobre o lado oeste.

“Não será mais difícil do que temos visto. A maioria dos comandantes (do Estado Islâmico) foi morta no lado oriental.” Ele não deu mais detalhes. 

Desde o fim de 2015, forças do governo apoiadas por uma coalizão de suporte aéreo liderada pelos EUA têm retomado grandes faixas territoriais no norte e oeste do Iraque, as quais haviam sido capturadas pelo Estado Islâmico em uma ofensiva em 2014.

(Reportagem adicional de Saif Hameed)

Reuters