Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Um soldado iraquiano carrega um menino, enquanto acontece combate entre forças do Iraque e militantes do Estado Islâmico perto da Cidade Velha no oeste de Mosul. 13/06/2017 REUTERS/Erik De Castro

(reuters_tickers)

Por Ahmed Rasheed

BAGDÁ (Reuters) - Mais de 5 milhões de crianças precisam urgentemente de ajuda no Iraque, informou a Organização das Nações Unidas nesta quinta-feira, descrevendo a guerra contra o Estado Islâmico como "uma das mais brutais" da história moderna.

"Por todo o Iraque, crianças continuam a testemunhar absoluto terror e violência inimaginável", afirmou o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) em comunicado.

"Elas foram assassinadas, feridas, sequestradas e forçadas a atirar e matar em uma das guerras mais brutais da história recente", acrescentou.

Em Mosul, crianças estão sendo assassinadas deliberadamente por militantes do Estado Islâmico para punir suas famílias e para impedi-las de fugir, afirmou o Unicef.

Organizações internacionais estimam que mais de 100 mil civis, dos quais metade é composta por crianças, estão presos em condições extremamente perigosas no centro da Cidade Velha, o último distrito ainda sob controle dos militantes em Mosul.

Mais de mil crianças foram assassinadas e mais de 1.100 foram feridas ou mutiladas desde 2014, quando os militantes radicais tomaram controle de grandes faixas do Iraque, afirmou. Mais de 4.650 crianças foram separadas de suas famílias.

Os militantes perderam o controle da maior parte das cidades do Iraque que tinham dominado, após uma série de ofensivas apoiadas pelos Estados Unidos que começaram em 2015. Eles também estão perto de perder Mosul, a cidade do norte do país que funcionou como sua capital de facto.

(Reportagem de Ahmed Rasheed)

Reuters