Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Manifestantes protestam contra a absolvição de um policial branco que matou a tiros um homem negro em 2011, em St. Louis, nos Estados Unidos 17/09/2017 REUTERS/Joshua Lott

(reuters_tickers)

ST. LOUIS, Estados Unidos (Reuters) - Mais de 80 pessoas foram presas no domingo à noite durante protestos em St. Louis, no Estado norte-americano do Missouri, contra a absolvição de um policial branco que matou a tiros um homem negro em 2011, na terceira noite consecutiva de violência na cidade.

Tropas de choque da polícia usaram spray de pimenta e prenderam manifestantes que desrespeitaram ordens para se dispersar após um protesto maior e pacífico.

Depois do anoitecer, um pequeno grupo permaneceu no local e houve cenas de desordem, assim como nas noites de sexta-feira e sábado. Manifestantes quebraram janelas e tentaram bloquear o acesso a uma rodovia interestadual, disseram a polícia e testemunhas.

A prefeita de St. Louis, Lyda Krewson, disse em entrevista coletiva que "a imensa maioria dos manifestantes é não violenta", e culpou um "grupo de agitadores" pela violência.

Os protestos em St. Louis começaram após a absolvição, na sexta-feira, do ex-policial Jason Stockley, de 36 anos, de uma acusação de homicídio pela morte a tiros em 2011 de Anthony Lamar Smith, de 24 anos.

A violência fez lembrar cenas de violência após a morte a tiros em 2014 de um jovem negro por um policial branco em Ferguson, também no Estado do Missouri.

Os protestos começaram na sexta-feira pouco após o veredicto de absolvição, quando 33 pessoas foram presas e 10 agentes ficaram feridos.

(Reportagem de Valerie Volcovici e Kenny Bahr, em St. Louis, e Chris Michaud, em Nova York)

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

Reuters