Reuters internacional

Primeira-ministra britânica, Theresa May, fala em fórum do partido conservador, no País de Gales. 17/03/2017 REUTERS/Rebecca Naden

(reuters_tickers)

LONDRES (Reuters) - A primeira-ministra britânica, Theresa May, não descartou permitir a livre circulação de pessoas entre o Reino Unido e a União Europeia durante uma "fase de implantação" após a desfiliação britânica do bloco, o chamado Brexit, noticiou a rede BBC nesta quarta-feira.

May, que iniciou o processo formal de separação da UE na semana passada, disse esperar algum tipo de fase de implantação, ou acordo de transição, depois do período de dois anos de conversas com o bloco.

A premiê deu poucos detalhes de como essa fase transcorrerá, mas se o Reino Unido quiser manter o status quo antes de finalizar um acordo terá que aceitar as regras da UE, as assim chamadas quatro liberdades: a livre circulação de pessoas, capital, bens e serviços.

Indagada se seu governo irá descartar a livre movimentação de pessoas em qualquer período de transição depois que os termos do desligamento britânico da UE forem acertados, May se recusou a fazê-lo, segundo a BBC.

"Assim que tivermos acordado qual será o novo relacionamento no futuro, será necessário haver um período de tempo durante o qual negócios e governos ajustam sistemas e assim por diante", disse a premiê a repórteres durante uma visita à Arábia Saudita.

A preocupação com a imigração da UE foi uma das principais razões para a decisão britânica de se desfiliar por meio de um referendo, e May disse que, por respeito a estes temores, não irá pedir a filiação ao mercado comum europeu, o que permitiria a livre circulação de pessoas.

May acrescentou que o Reino Unido terá "controle de nossas fronteiras e controle de nossa imigração", segundo a BBC.

(Por Estelle Shirbon e Alistair Smout)

Reuters

 Reuters internacional