Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

GENEBRA (Reuters) - O mediador da ONU para o conflito na Síria, Staffan de Mistura, disse nesta quarta-feira que não conta com um progresso imediato quando as conversas de paz recomeçarem nesta semana, mas espera conversas produtivas que reiniciem o processo para uma solução política que ponha fim à guerra de seis anos.

As conversas serão as primeiras negociações sobre a Síria mediadas pela Organização das Nações Unidas em quase um ano, tempo durante o qual o contexto militar e geopolítico mudou profundamente. Ainda assim, os mesmos desentendimentos devem voltar à tona.

    De Mistura disse que a Rússia, que vem apoiando os avanços militares do presidente sírio, Bashar al-Assad, pediu a Damasco para "silenciar seus próprios céus nas áreas envolvidas pelo cessar-fogo" durante as tratativas. Países próximos da oposição também foram exortados a diminuir as provocações, disse.

    "Se estou esperando um progresso? Não, não estou esperando um progresso", afirmou De Mistura em uma coletiva de imprensa. "Mas estou esperando e determinado a manter um impulso muito proativo."

    Ele afirmou ter esperança de que nenhum lado irá tentar atrapalhar as conversas na quinta-feira provocando o outro, e que é necessário ter ímpeto para uma solução política para frustrar aqueles que estão decididos a desencaminhar os esforços de paz.

    "Existe uma corrida entre nós e os do contra, temos que ser mais rápidos que os poucos, mas claramente do contra, com ímpeto na rota política, e acho que podemos mirar isso", disse De Mistura.

Ainda que as conversas em Genebra tenham como foco o lado político, De Mistura disse esperar mais rodadas de conversações na capital do Cazaquistão, Astana, conduzidas por Rússia, Turquia e Irã, para lidar com questões humanitárias e relacionadas com o cessar-fogo.

(Por Tom Miles e Stephanie Nebehay)

Reuters